terça-feira, 20 de março de 2012

ÓSCULO DE AMOR: SÍMBOLO DE AFETIVIDADE CRISTÃ


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: I Pedro 5:14
1. Você gosta de ir a um lugar onde desde a sua chegada e mesmo na sua saída ninguém te cumprimenta?
2. Você voltaria à igreja se ninguém desse a mínima para você? Tertuliano escreveu no século III d.C.: “Que classe de oração pode estar completa se dela se excluir o ósculo santo? Que tipo de sacrifício é aquele do qual os homens se retiram sem a paz?”
3. Você se sentiria amado sem um gesto de amor dos membros da igreja? E se este gesto fosse hipócrita, fingido ou sem amor? A palavra “ósculo” é popularmente “beijo”, do latim “osculum”. Era o símbolo do amor fraternal revelado na saudação sem malícia. O gesto varia de acordo com a época e a cultura, mas a saudação de uns aos outros é uma ordem bíblica.

I.  A SAUDAÇÃO DE UNS PARA COM OUTROS PODE SER FINGIDA – I Pedro 5:14
Pelo fato de existir a possibilidade de ser fingida a saudação do cristão, o apóstolo Pedro ordena: “Cumprimentem uns aos outros com beijo de irmão (NTLH, I Pedro 5:14).
1. A saudação com beijo é cultural refere-se a outros métodos de cumprimentos: O beijo, o abraço, o aperto de mão, o tapinha nas costas são os diversos tipos de saudações entre as mais variadas culturas. Embora cada cultura tenha sua própria forma, entre os cristãos a saudação vai além da educação e da ética, é o primeiro passo para a unidade do corpo de Cristo.
2. A saudação com beijo poderia ser sem amor, tanto quanto qualquer outra forma de cumprimento: O beijo de Judas não deve ser a maneira de cumprimentar dos cristãos (Mateus 26:48-49). O afeto comunitário na comunidade da fé não deve ser uma lei externa, mas uma atitude interna; do contrário, não há sinceridade; mas malícia e hipocrisia.
3. A saudação fingida revela a verdadeira falta de amor: Judas traiu seu Mestre por não permitiu que o amoroso Deus moldasse seu coração; então, quem moldou seu coração foi o diabo, o qual é mestre em destruir relacionamentos. Tristemente, a saudação de muitos membros do corpo de Cristo é semelhante ao beijo fingido de Judas: destrutível!

II. A SAUDAÇÃO DE UNS PARA COM OUTROS REVELA A CONDIÇÃO ESPIRITUAL DA IGREJA – I Pedro 5:14
1. A falta de saudação na igreja indica que há problemas de relacionamentos: Quando membros ignoram outros membros ou quando a saudação é feita com ironia ou falsidade há problemas; porque onde não há amor também não há humildade e nem harmonia. O mesmo espírito que dominou o coração de Judas está dominando o coração de quem causa contendas, dissenções, discórdias e facções dentro da igreja.
2. A falta de amor na saudação é evidente na frieza de uns para com outros: Os líderes da igreja devem estar atentos a fim de impedir que as características de Judas e o mestre da destruição não encontrem espaço no corpo de Cristo. Todos devem ser orientandos com amor cristão como fez Jesus com o traidor.
3. A falta de amor na saudação fez com que o Espírito Santo inspirasse Pedro e ordená-lo: A ordem de saldar uns aos outros com ósculo de amor revela que a saudação deve ser saudável, sincera e espontânea. Tal saudação deve revelar o amor divino brotando do coração. Pois, o trato com afetividade é o reconhecimento externo e visível da vida em união com Cristo.

III. A SAUDAÇÃO CALOROSA REVELA AO MUNDO O CARÁTER DE CRISTO NOS MEMBROS DA IGREJA – I Pedro 5:14
1. A igreja é uma comunidade de amor, e o sinal deste afeto é a saudação calorosa: O beijo externava a amizade na comunidade cristã; independente da forma, a saudação deve ser praticada com amor genuíno e sinceridade de coração para revelar a nobreza do caráter de Cristo.
2. A igreja é a família da fé mais forte que a família carnal: Se entre os membros de uma família física há o afeto manifestado na saudação, quanto mais na família espiritual, onde todos são irmãos, cheios do amor divino, filhos do Pai Celestial!
3. A igreja é o corpo de Cristo que deve refletir ao mundo Seu caráter amoroso: A saudação não deve ser uma cerimônia cristã ou uma prática formal, deve ser uma atitude de amor pelos outros; amar como Cristo amou. A saudação calorosa é o início da demonstração deste amor.

CONCLUSÃO:
1. A igreja é mais que um local para realizar programas ou uma sociedade com princípios; é uma comunidade em que seus membros revelam o amor de Cristo uns aos outros desde o início, com a saudação, até a despedida, com calorosos cumprimentos (Atos 20:37-38).
2. A igreja é mais que um local de culto, é um grupo de pessoas que vivem o protótipo do que será o Céu, pois o amor cristão no saudar uns aos outros produz um clima celestial.
3. A igreja é mais que uma reunião familiar, é uma agência de amor onde se pratica a fraternidade e a afetividade cristã. Por isso, a saudação afetiva é um dever de cada cristão.

APELO:
1. Não permita que o Diabo, o destruidor de relacionamentos, encontre espaço onde o Deus de amor deveria estar: em teu coração!
2. Não espere que alguém te cumprimente, seja você o primeiro a fazê-lo com sinceridade, espontaneidade e cheio do amor de Deus.
3. Não seja passivo, frio ou indiferente diante das pessoas que Deus tanto ama e instituiu você para revelar esse amor a elas. Faça com que cada beijo, abraço ou aperto de mão para com seu irmão seja uma expressão do amor cristão.


Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer. Elogie ou critique respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana